domingo, 22 de maio de 2011

Semana 'Poesia': Auta de Souza (IV e V)

Dois Últimos Poemas


I - MELANCOLIA


Sinto no peito o coração bater
Com tanta fôrça que me causa mêdo...
Será a Morte, meu Deus? Mas é tão cedo!
               Deixai-me inda viver.

Tudo sorri por êste campo em flor
O Amor e a Luz vão pelo Céu boiando...
Só eu vagueio a suspirar, chorando
               Sem Luz e sem Amor.

Lutando sempre com uma dor cruel
Cheia de tédio e desespêro, às vêzes;
Minh'alma já tragou até as fezes
               O cálice de fel.

....................................................

E o coração no seio a palpitar,
Como se acaso não tivesse crença,
Pulsa com a fôrça indefinida, imensa,
               Dos vagalhões do Mar.


*********************************************************************


II - ADEUS


"Espera, eu voltarei." Êle dizia.
(Quanto era triste o seu olhar tão doce!)
Chorosa e terna a fala lhe tremia
Como se a corda de algum'harpa fôsse.

E ela, a pálida noiva estremecida,
Fitou no amado os grandes olhos seus,
E murmurou, baixinho e comovida,
Quase a chorar e muito a mêdo: Adeus!



*********************************************************************

Bem amigos, com essas duas joias terminamos a nossa semana Auta de Souza. Espero ter acrescentado algo de não muito usual de nossa literatura, porque para mim é muito satisfatório conhecê-la. Sinto orgulho profundo, e espero que vocês tenham sentido em cada publicação. Um confortável abraço e fiquem todos bem!


Abson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário